20 de março de 2016

To all the books I've loved before


  Tá, na verdade isso não vai ser uma carta de amor e gratidão a cada livro que marcou a minha curta vida de leitor. Não, na verdade isso vai ser uma carta sobre meus dois livros favoritos da infância: O nome deste livro é segredo e C.O.V.A.. Provavelmente vocês nunca ouviram falar deles, mas ambos tem um lugarzinho especial no meu coração literário. Foi graças a eles que comecei a me interessar por códigos e mistério, e coisas assim.

  O primeiro fala sobre duas crianças - Cassandra e Max Ernesto -, ela toda aventureira, daquelas crianças que subiam em árvores e liam livros (antes dos smartphones) e ele todo nerd e recluso. A jornada dos dois começa depois de visitarem a casa de um mágico que foi morto por um incêndio na cozinha. Lá eles encontram a Sinfonia de Cheiros, um conjunto de aromas que vão de jasmim a ovo podre. Os vilões da história querem a Sinfonia para continuarem "imortais', mesmo motivo pelo qual raptam crianças sinestésicas - e o objetivo de Cass e Max é salvar uma dessas crianças. Enfim, a história é bem aqueles filmes dos anos 80, com crianças espertas e corajosas sempre derrotando os adultos no final. Esse livro que me apresentou a sinestesia, que é a mistura de sentidos (por exemplo, ver a cor azul quando ouve o número oito ou sentir gosto de chocolate quando sente o cheiro da chuva), fiquei fascinado por isso e queria porque queria ser uma criança sinestésica hausha



  C.O.V.A. é uma sigla para Centro de Orientação para Vilania Aplicada (H.I.V.E. no original). O tal centro é uma escola escondida em uma ilha no Pacifico que seleciona adolescentes com alta tendência para a vilania (por exemplo, uma garota que invadiu a rede de computadores da Força Aérea americana ou outra que rouba joalherias pelo mundo). Lá dentro existem "casas" (como se fosse uma Hogwarts do mal), que trabalham características bem específicas para se tornar um vilão. O primeiro livro (é uma série de oito) acompanha Otto Malpense, um garoto que aprende qualquer coisa numa velocidade inumana, e seus três amigos tentando escapar da ilha e voltar para o mundo real. O que mais me prendia no livro era a mitologia criada em torno da escola, dos professores e do diretor, que fazia parte de uma Liga de Vilões que controlava todo o planeta por detrás dos panos. Uma das cenas mais doidas que me lembro era da aula de "educação física", em que eles tinham de se lançar com arpões acoplados nos braços entre blocos de concreto acima de uma piscina escura e profunda (basicamente como o homem-aranha e suas teias). Eu morreria pra ver essa cena em um filme! haha

  Eu li esses livros em 2010, e foram eles que me deram o incentivo de comprar e ler mais livros, o que aumentou meu vocabulário e melhorou minha escrita (ENEM is coming haha), então, obrigado livros, seus maravilhosos <3 Vocês tem algum livro que marcou a infância - fora Harry Potter, né galera ahsuahsa Beijão, até outro post.

6 comentários:

  1. Que livros interessantes!!! Eu teria amado e com certeza lido esses livros naquela época, principalmente C.O.V.A, vou pesquisar depois sobre.
    Eu sempre achei legal essas coisas de adolescentes ou crianças super inteligentes e tal. Mas nunca parava para pesquisar ou ler a respeito. :(

    Um livro que me marcou, não sei se foi positivamente ou negativamente, foi Um Conto de Fim de Mundo do autor Julio Emílio Braz, o livro é curto, em torno de 60 páginas.
    Ele fala sobre Prostituição Infantil. Foi a primeira vez, aos 10 anos, que eu li um livro (mesmo que curto) e parece que eu vi a história, sabe? No final eu fiquei muito triste.
    Até hoje eu tenho um pouco de choque de lembrar, porque prostituição infantil não é muito falado para crianças, principalmente com 10/ 11 anos.

    Alguns anos depois eu já estava com 14/15 anos voltei a ler. Li meu segundo livro. Não lembro o nome, mas falava sobre drogas. Outro livro que eu me surpreendi (acho que pelo fato de não ter lido mais livros antes) com a forma que eu imaginava a estória. E foi aí que eu comecei a me interessar por leitura.

    Depois de um tempo tentei ler dois livros, mas não consegui terminar. Aí fui numa livraria, comprei 4 livros e descobri que o estilo que gosto de ler é romance. Aí né, depois disso comecei a engordar de tanto devorar livros, haha.

    Ainda estou me acostumando a ler fantasias e outros gêneros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. C.O.V.A. é muito legal pq o personagem principal usava palavras rebuscadas e parecia superior quase o tempo todo - acabei me apaixonando por ele hshshs
      Eu li um livro do Júlio quando era criança, o nome era Um Garoto Consumista na Roça, e era cheio de estrangeirismos e marcas inventadas, é basicamente uma historinha dizendo que o campo e a cidade podem conviver em paz, bem bonitinho.
      Também tô me acostumando com fantasia, nem sempre consigo me interessar por isso haha

      Excluir
  2. Será que eu acho fácil esse C.O.V.A nas livrarias? Caramba, tô procurando aqui pra baixar e não tô achando com certa facilidade. Que livro interessante, velho, preciso T-T nem que seja pra ler digitalmente, haha. Olá, Edu, tudo bem? Espero que sim, espero que esteja se sentindo melhor quanto as ultimas angustias, hmmm, eu gostei muito da postagem, porém, sinto te decepcionar, mas não fui um grande leitor na infância.

    Eu gostavam mais de escrever, crias histórias, montar roteiros pros meus bonecos e mapas das cidadezinhas deles, haha. Meu hábito de ler começou em 2010 ~ 2011, com meus 12 ~ 13 anos de idade, quando li A Pirâmide Vermelha, do autor de Percy, que por sinal eu não gosto, não consegui ler. Bom, mas eu tive meus livros infantis favoritos, como Bisa Bia Bisa Bel, haha, porém, meus favoritos eram os livros de história mesmo. Geralmente eu lia meus livros de história antes do ano acabar >.< eu era apixonado. Bom... é, ótima postagem \õ/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Égua, cara, eu acho que não :( Achei esses livros (e a maioria dos que li quando criança) perdidos nas prateleiras das livrarias daqui, mas deve ter pra encomendar online (ou ebook né). Tudo ótimo, Pedrão. No momento tô melhor sim, incrível como esses sentimentos mudam rapidinho. Minha carreira de leitor só começou no fim da infância, então tudo bem hshsh
      Eu gostava muito de mapas e plantas de prédios da infancia até o inicio da adolescencia - até por isso queria ser arquiteto ahsuaha Os livros de história e de português eram os unicos que eu pegava pra ler fora da escola, eram bem divertidos hasha Brigadoamigo!

      Excluir
  3. Realmente, nunca ouvi falar dos títulos, mas para tê-lo conquistado desse jeito, devem ser ótimos livros. Sem falar que as capas são maravilhosas. ♥

    O primeiro livro me parece incrível. Gosto da ideia de jovens saírem à frente dos adultos porque vamos combinar: jovens sempre vão ter o espírito mais livre e corajoso. Sem falar que sinestesia é um tema bem maneiro.

    O segundo é melhor ainda. Adoro essas histórias que são completamente diferente das usuais e o que é mais diferente do que uma escola do mal? Me deu vontade de ler ambos e todos os livros da série.

    Os primeiros livros são mesmo marcantes. Lembro quando minha professora da quarta série me emprestou O Pequeno Príncipe e eu deixei que o livro mudasse minha vida. É até hoje uma das minhas leituras favoritas. Ótimo post, Edu!

    Carinhosamente, Jheni.
    [empire k.] [15 outonos] [stupide]

    ResponderExcluir
  4. Olá, Edu! Como você está? Estava com saudade desse lugarzinho aqui, de verdade (fui ver que tu comentou a minha foto no Facebook e decidi passar aqui, tava na hora já, né?). Faz muito tempo que eu não faço isso, me perdoe se não ficar legal.

    Realmente, nunca ouvi falar de nenhum dos dois, mas ambos parecem ser interessantes. Bastante, na verdade.
    (1) Interessante, goxxxxtei. Vou procurar por aqui para lê-lo, adoro livros nesse aspecto.
    (2) QUE LEGAAAAAAL! Me interessou mais que o outro, parece ser super massa; irei procura-lo também, quem sabe eu ache <3.

    Diria que ainda estou dentro dela (da infância, basicamente), já que nem meus 14 anos eu tenho completos. Mas eu gosto de ler desde pequeneninha mesmo, por conta de um tal "Projeto de Leitura" da escola: funcionava basicamente com 15 minutos (ou mais) de leitura por dia; comecei lendo "A Ilha Perdida" e não parei desde lá. É um ótimo incentivo para crianças <3.

    Estava morrendo (quase literalmente, viu) de saudade disso aqui, ler postagens e me acabar fazendo comentários grandes. Espero que você o leia, por mais que faça um bom tempo que tu não aparece aqui. Enfim, enfim, saciei a minha vontade. Tomara que eu possa voltar mais vezes.

    Com carinho, Liv.
    (Quem sabe, um dia, volte a ter uma URL aqui).

    ResponderExcluir