1 de fevereiro de 2015

Janeiro Cinéfilo


  Há! Adivinha quem voltou? Esses dias fora me fizeram sentir uma big falta, como diz um jornalista brasileiro, da minha meia dúzia de três ou quatro leitores (ri gente, foi piada). E aí, como cês tão? Como tá a escola, os romances teoricamente infinitos, a indecisão sobre uma profissão... Ops, essa é a minha vida, relevem. Esse mês eu vi bem mais filme do que eu imaginava, deu até um pequeno orgulho (sério, se eu vi dois já ganhei o mês). Então vem comigo pra saber o que eu achei dessa coisa toda.

Vi depois da virada do ano, na casa da minha mãe hehe O filme deve ter vindo direto pra DVD pra cá, pois não ouvi falar deke ano passado. O plot é de uma família com uma genética abençoada, que fez todo mundo ter essa carinha de anjo da foto. A explicação: os patriarcas da família são primos. Sim, incesto! Claro, isso não é uma coia bacana na vida real, mas sou fascinado por isso na ficção, me julguem. Depois que o pai da família morre e eles ficam falidos, vão morar com a avó, que os abomina por serem "filhos do diabo". Então os irmãos ficam confinados no sótão (attic) do título durante ANOS. ANOS. ANOOOOS. O que era pra ser uns dias, enquanto a mãe deles tentava por a mão na herança dos pais. É, é uma coisa super tensa que até merecia um post próprio. O final me deixou super excitado por uma continuação, já que foi baseado numa série de livros. Meu favorito <3

Saindo do drama, fui atrás de uma comédia no estilo de American Pie - obrigado mãe por ter tantos filmes, haha Nesse daqui, o protagonista (o moço no lado direito da foto) é um jovem que exercita bastante o conceito de carpe diem e dá festas quase todo dia com seus dois melhores amigos. Até que, numa dessas festas, enquanto recebia um blowjob (!) de uma loira, descobriu que tinha câncer de testículo. Então ele teria de amputar um dos testículos, e estaria salvo. O problema: ele se tornaria infértil. Então o filme se desenrola nele correndo atrás de várias mulheres de sua vida, ex-namoradas e etc para ser a mãe de seu filho. E pronto. O enredo é previsível e de vez em quando confuso, piadas fora de hora e um final meio nhé. Enfim, não valeu a pena.

Vi o trailer desse e queria muito ver, mas nem vi se veio pro cinema daqui haha Assisti no avião, na viagem de ida. A história se passa no México, nas comemorações de Dia dos Mortos, e é contada por uma guia de museu à um grupo de crianças - que de vez em quando "colocam a cara no sol" / piada besta. Joaquim, Manolo e Maria são três amigos muito fofos que se separam quando ela vai para um internato, ainda criança. A família de Manolo tem uma tradição de toureiros - inclusive a vó dele, minha personagem favorita porque sim -, mas ele é muito romântico pra isso, e prefere sair cantando e tocando o violão que ganhou de Maria na infância. E tem o Joaquim, que se tornou um herói de guerra graças a uma medalha de Xibalba, que junto com a ex-mulher La Muerte (rainha <3) controlam as terras dos Esquecidos e dos Lembrados, respectivamente. Os dois fazem uma aposta para ver quem conquista o coração de Maria, quando esta retorna à cidade. A história é bem simplesinha e as cores em cada mundo são intensas e me deixaram maravilhado haha As cenas juto ao Candle Maker também foram minhas favoritas, hiper recomendo.

Esse e o de baixo vi na viagem de volta. Quando vi todo o burburinho que criaram ano passado em cima de filme, livro, etc. nem dei bola, mesmo sem conhecer bem a história e ter a minha Chloe no elenco. Que bom que finalmente assisti. Para resumir, Mia é uma garota que, depois de um acidente que matou toda sua família, está presa num hospital junto a seu corpo e com um dilema nos ombros: fico viva e tento viver a vida ou morro e fico junto de minha família? O filme se desenrola com as lembranças da Mia. Como ela era diferente dos pais, que tinham o rock na veia e ela a música clássica, sua melhor amiga e seu namoro com um artista do rock emergente. Eu me envolvi bastante com a história, mesmo que de vez em quando fosse bem plástica, teve personagens cativantes, uma experiência "extra-corporal" bem legal e um final que deixou gancho para uma continuação - o masi rápido possível! 

E fechando, um filme de três horas que me impediu de dormir na reta final da viagem: Boyhood! Já queria ver o filme desde que vi as notícias sobre, mas a duração era um problema, que foi solucionado pelo tédio do avião. O plot é o simples registro da vida de um garoto (mais sua irmã e sua mãe) dos seis aos dezoito anos. Sem revelações bombásticas, grandes acontecimentos ou reviravoltas. O gancho principal do filme é que foi filmado com os mesmo atores desde o inicio, uma vez ao ano, bem como um Harry Potter da vida real, acompanhando o crescimento deles. Essa ideia é muito bacana, e só ela mesmo que me instigou a assisti-lo, mas aconteceu muitas vezes de eu olhar pra outro lado, porque em algumas partes a história se torna bem tediosa, só mais do mesmo. A mãe dele nunca conseguindo escolher bem um parceiro amoroso e depois ascendendo na carreira, foi realmente o que mais gostei e que me deu vontade de continuar até o fim. Me interessei bastante pelo Mason quando ele decidiu ser fotógrafo, e viver disso, nem consigo explicar como fiquei feliz haha O que me decepcionou foi o final, talvez eu esperasse algo estrondoso, mas foi algo tão simples e vago que nem percebi.

  Foi um post quilométrico pelo fato de que eu queria muito falar desses filmes sem um resuminho besta. Se alguém ainda ler, vou ficar agradecido haha 

3 comentários:

  1. Já assisti o boyhood achei um pouco cansativo, não tem muito história. Fiquei com vontade assistir o Preciso ser pai mas pelo seu comentário e a sinopse acho que não gostarei do filme. Vou ver se assisto algum desses outros.

    beijos ♡
    --> lugarrnenhum.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Amo posts sobre fimes!! :D
    Fiquei super curiosa para assistir o Jardim dos Esquecidos, vou já anotar na minha lista!!!
    Parece que o If I Stay tem um livro né, queria lê-lo! Sobre o filme, assistir depois de ler o livro haha
    Eu queria muito assistir Boyhood, justamente por causa que é o mesmo ator e demorou esses anos para filmar e blá blá blá. Mas, pela minha super, ultra, mega sorte, não vai ser exibido na minha cidade. Triste? Sim. Raiva? Claro! E muita!!! Um filme indicado ao oscar! Um filme que eu estava esperando meses e não ser exibido!!! D:
    Pior que nem esse e nem o A Teoria de Tudo. Enfim. Nem tudo na vida são flores!
    Gostei do post! Espero que eu não me decepcione quando assistir Boyhood.
    Beijos!

    www.falaserioemilly.com

    ResponderExcluir
  3. Alguns filmes por ai que eu não vi ainda, mas Se Eu Ficar eu vi e confesso que chorei o filme todo. Ao ver filmes e bom, digamos que eu gasto metade do meu tempo vendo tudo que quando filme que alguém me apresente. E no momento eu preciso ver Preciso Ser Pai, pois achei muito legal.
    - poeira lunar

    ResponderExcluir