27 de junho de 2013

O Cidadão Invisível


  Hey! Como muita gente já sabe, dia 1° de Julho é adeus Google Reader. Eu estava preocupado era com o Friend Connect, já que os dois serviços andam praticamente juntos a tempos, mas não acho que alguma coisa vai mudar em relação a ele. Porém, só pra prevenir, sigam o blog lá no bloglovin' (que eu tinha abandonado a alguns meses e-e), ok?
  Essas férias eu queria retirar do caixão os filmes daquele projeto que fiz em Dezembro/Janeiro, chamado de Um Filme Por Dia, quero fazer a resenha dos filmes que eu vi durante o projeto, mas acho que não consigo de todos. E aí, vocês apoiam essa ideia de fazer as resenhas? Comentem! Agora sim, ao post: vi que não faço resenhas de livros a um bom tempo, então decidi escolher um que eu gostei de ler e trazer aqui pra vocês. 


  A HQ O Cidadão Invisível nasceu da ideia de Gilberto Dimenstein de traduzir para outra linguagem o seu livro O Cidadão de Papel, ainda usando exemplos do cotidiano. Na HQ somos apresentados a duas realidades diferentes: a de Naco, que fugiu de casa e tenta sobreviver nas ruas e a de Patrícia, uma garota de classe média que não se conforma com a desigualdade social.
  Os diálogos nos fazem refletir sobre a atual situação da sociedade brasileira, mostrando a violência das ruas e a futilidade dos ricos. A violência também acontece por influência, o que acontece com Naco, que acredita que precisa de uma arma para deixar de ser invisível.


  Ao longo do livro, Naco é ajudado por dois personagens, que também eram invisíveis: uma travesti - que só assim se torna visível - e Ceará, um catador de papel que perdeu o filho para o mundo das drogas. Os dois dão várias lições ao Naco, tentando lhe oferecer um emprego e fazendo-o voltar para casa.
  Mesmo os personagens sendo meio rasos, eles conseguem fazer você pensar. Pensar que pode fazer alguma coisa pra mudar a imagem do país, que é justamente o que está acontecendo agora. Jovens, principalmente, fazendo história pelas ruas. Deixando de serem invisíveis.


  O livro tem o tamanho de uma HQ estilo americana. Eu li ele no início do ano, e foi ótimo. O final é o melhor, surpreendeu. Tudo bem, eu exagerei no número de imagens, haha. É que as fotos do livro são tão bonitas e significantes, que eu tive que colocar algumas. Nas páginas finais têm uma seção chamada de Das páginas da HQ para o nosso dia a dia, que mostra índices de quanto dinheiro é gasto no quê, no que deveria ser gasto, a quem a cultura pertence, histórias de catadores de papel e índices de cor e raça no Brasil. Super recomendado.

Título: O Cidadão Invisível
Autor: Gilberto Dimenstein (original) e Ivan Jaf (roteiro da HQ) Editora: Ática Páginas: 72
♦♦♦♦♦ (5/5)

6 comentários:

  1. Eu já li! Lembro que uma vez fui na biblioteca da minha cidade e tava com vontade de ler qualquer coisa, pequeno, que eu fosse ler rápido, e fui logo nos HQs, e vi esse, li e amei! <3 Nem lembrava que eu tinha lido, mas agora lembrei da história e lembro que é linda!
    Já li vários outros livros do Ivan, ele é incrível! :3
    Bjo, Sel ;*

    Jovens Gordinhas
    Unicórnio com Bigode

    ResponderExcluir
  2. Nunca li. ;--; Mas acho que já ouvi falar em algum lugar. HEUEHUEH
    Mas um dia eu leio ..

    XOXO, Josh.
    darkflameoficial.blogspot.com {new url}

    ResponderExcluir
  3. Muito legal esse HQ, eu acho que esse estilo não fazem o meu estilo, mas acho q se eu pegar ele na biblioteca eu iria ler!

    XOXO :D
    jovenclube.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu nunca li, mas parece ser super interessante >3<
    quirky-tree.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Esse Hq e incrível, eu adoro ele.

    http://mclumaluz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Não li, mas parece ser legal! *-*

    controversias-blog.blogspot.com

    ResponderExcluir